quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Espaços Comunitários

                                                 Objetos pessoais em ambientes coletivos
   

    Dividir um espaço, uma gaveta, um objeto com outra pessoa no ambiente de trabalho ou até mesmo em casa é muito difícil. Requer paciência, acordos e bom senso. Imagine um compartimento que tem que ser compartilhado com muitas pessoas. Uma geladeira no trabalho ou um armário...
    Regras de boa convivência devem ser seguidas, as "incríveis regrinhas" que servem para nos auxiliar e padronizar atitudes e costumes.
    Não somente em relação a higiene, mas também ao respeito que se deve ter para com os pertences alheios, não invadindo a privacidade.
    Num ambiente de trabalho, necessitamos de deixar exposto nossos objetos pessoais, encima de mesas, dentro de geladeiras, em gavetas compartilhadas e armários coletivos.
    A convivência em grupos de trabalho é muito afetada pela falta de consideração entre as pessoas, levando ao desgaste das relações.
    O individualismo neste aspecto, deve ser preservado, os limites de espaço devem ser respeitado e se sabemos que se um objeto não é necessário para um, mas pode ser de suma importância para outros.
    A análise deve ser feita sob o seguinte ponto de vista: Se algo não me pertence, não deve ser descartado ou utilizado sem permissão e quando permitido, devolvido como forma de estabelecimento de confiança.
    Nossa empresa deve ser como nossa casa, presar o respeito entre as pessoas como base na conquista da confiança. E ter liberdade de manter seus objetos em lugares coletivos é uma demonstração de confiabilidade.
    Quando coloca-se um objeto exposto e desaparece sem deixar vestígio, aborrece a quem pertence e tornam-se pessoas resistentes e desconfiadas.
    Preserve as relações respeitando os limites de todos os colaboradores como se fossem seus próprios irmãos.
                                 
                                                                                                Andrea Pordeus